6 de abril de 2014

Eterna...

Já faz uma semana. Nunca pensei que escreveria um post sobre a partida de mais uma amiga.
A última vez que falamos ao telefone, você estava com uma vozinha triste, mas calma como sempre foi. 
Sim, juro que nunca te vi explodir porque você sempre foi carinhosa comigo. E os planos? Quantos planos você fez! 
Um dos últimos e-mails que trocamos, mais um plano, mais uma demonstração do seu carinho:

"Assim que eu tirar minha CNH (esse ano consigo, trabalhando lá no bar eu vou juntar dinheiro pra pagar autoescola), pego o carro, passo ai na tua casa e vamos fazer um bate-volta na praia. (...) vamos descer a serra ouvindo metal e falando bobagem. rsrs Acho Bertioga uma cidade legal, histórica, com uma praia linda, podemos ir lá, o que acha? :)" 21/02/2014



E como diz Renato Russo em sua música Vento no Litoral:
Onde está você agora, além de aqui dentro de mim? 

Você deixou um vazio, dói imaginar que não vou poder ouvir seus "causos", seus planos, sua rotina. Dói pensar que o passeio pra Bertioga ao seu lado, não vai acontecer... Sim, eu sei que você estará sempre comigo, mas você foi cedo demais... Ainda tínhamos tanto por fazer e viver!
Desculpe por não saber, nem sequer me expressar, todos já fizeram homenagens tão lindas e sinceras pra você! E eu sou só mais uma que sente e sentirá muito a sua falta.

Descanse em paz.
Te amo.

5 comentários:

  1. tbm penso nela sempre... parece uma dor que nunca vai cicatrizar... é uma saudade dolorida, que deixa um oco no peito...

    sempre vou amá-la...

    ResponderExcluir
  2. Que bonito! Que lindo! Eu ainda não consegui escrever, mas sinto no fundo do coração que o momento está chegando.

    Eu sinto muito a falta da Eni. Muito. Mas depois dos meus ataques e colapsos, decidi transmutar toda essa dor em amor.

    E agradeço por pessoas como vocês estarem na minha vida.

    ResponderExcluir
  3. é terrível que tenhamos agora que utilizar de uma coisa que tanto gostamos (escrever), para falar sobre um episódio, sobre uma falta que vamos sempre odiar. é terrível que, por mais as palavras jorrem, nenhuma delas carregue a resposta pro aconteceu.

    o bom é que escrever ajuda a exorcizar o que tá machucando: a dúvida, a vontade de mexer no tempo, para um voltar um pouco e tentar mudar alguma coisa. a culpa, não por ser responsável pelo que aconteceu, mas por não ter feito nada para impedir.

    suas palavras são lindas, pati. elas expressam a sinceridade dos seus sentimentos.

    ResponderExcluir
  4. Ela era linda, sem mais nem menos. Agora que eu fui saber desse lado sonhadora dela... Admiro pessoas assim. Aliás, sempre admirei ela... É uma pena eu não ter conhecido ela direito... :(

    ResponderExcluir

Muito obrigada pelo seu comentário!